Segunda-feira, 27 de Janeiro de 2020
Mundo

Iranianos pedem renúncia de Khamenei após Irã admitir derrubada de avião

Os estudantes gritavam slogans acusando de

Publicada em 12/01/20 às 13:07h - 117 visualizações

por Com agências internacionais


Compartilhe
   

Link da Notícia:

aiatolá Ali Khamenei sofre protestos de estudantes que pedem a sua renúncia  (Foto: Divulgação )

Manifestantes iranianos pediram a renúncia do líder supremo do país, aiatolá Ali Khamenei, neste sábado, depois que o governo do Irã afirmou que suas Forças Armadas derrubaram por engano um avião ucraniano, matando todas as 176 pessoas a bordo.

"Comandante-em-chefe (Khamenei) renuncie, renuncie", gritavam centenas de pessoas, de acordo com vídeos publicados no Twitter, em frente à universidade Amir Kabir, em Teerã, publicou a agência Reuters.

Homenagem virou protesto

Citando a agência France Presse, a RFI disse que centenas de estudantes se reuniram no início da noite na frente da universidade Amir Kabir para homenagear as 176 vítimas do voo da Ukraine Airlines International e a manifestação se transformou em um protesto contra os responsáveis pela tragédia e contra os líderes do atual regime.

Os estudantes gritavam slogans acusando de "mentirosos" e "assassinos" os responsáveis pelo drama e exigiam punição aos que tentaram encobrir a verdade. A polícia iraniana tentou dispersar os protestos.

Na manhã deste sábado, o Irã reconheceu ter abatido "por engano" com a ajuda de um míssil o voo PS752 da companhia aérea ucraniana logo depois de sua decolagem, na quarta-feira.

Embaixador britânico detido

Segundo agências iranianas, o embaixador britânico em Teerã foi detido por algumas horas por ter feito fotos e vídeos dos protestos.

A agência de notícias iraniana Fars, em um raro relato sobre protestos contra o governo, disse que manifestantes cantaram frases contra as autoridades do país em Teerã neste sábado.

A reportagem da Fars disse que os manifestantes que foram às ruas também arrancaram imagens de Qassem Soleimani, o comandante da importante Força Quds, da Guarda Revolucionária, que foi morto em um ataque de drone dos Estados Unidos.

A agência, amplamente vista como próxima à Guarda, publicou fotografias das manifestações e um cartaz destruído de Soleimani. Segundo a Fars, cerca de 700 a 1.000 pessoas participaram do protesto.

Trump quer observadores internacionais

Em um tuíte escrito em persa, o presidente norte-americano Donald Trump aproveitou a onda de protestos para oferecer solidariedade ao povo iraniano. "Eu estive ao lado de vocês desde o começo da minha presidência, e a minha administração continuará ao seu lado", tuitou Trump.

Ele disse que os manifestantes são inspiradores e pediu que observadores internacionais sejam autorizados a entrar no Irã para verificar, in loco, os protestos.

Em dezembro, a Anistia Internacional acusou o governo iraniano de ter matado mais de 300 pessoas ao reprimir protestos ocorridos no país em novembro de 2019.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 (88) 98151-4793

Visitas: 1131176
Usuários Online: 44
Copyright (c) 2020 - Tribuna dos Vales